Cidade de Altamira a beira do colapso

07/04/2013 às 18:09 | Publicado em Movimento médico, sindmepa, Waldir Cardoso | 3 Comentários
Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

AltamiraEsta semana estive no município de Altamira, sudoeste do Pará, dando continuidade aos trabalhos de interiorização do SINDMEPA aprovado no Planejamento Estratégico. Fui recebido pelo nosso delegado sindical no município Eduardo Bezerra dos Anjos. Destaco alguns pontos da visita.

         Visitamos o hospital municipal São Rafael que, com a mudança de governo municipal, esta sob a direção da administradora Cátia Luciano. É o pronto socorro da cidade. A Norte Energia doou vários equipamentos para o hospital e está repassando cerca de R$ 200.000,00 para o custeio da unidade, todos os meses. Com a verba e os equipamentos a direção colocou em funcionamento mais uma sala de cirurgia, contratou mais médicos ampliando os atendimentos de Emergência. Dos médicos ficam na sala de emergência e cirurgias traumato-ortopédicas passaram a ser realizadas no hospital. Há boa colaboração entre as equipes médicas e o Hospital Regional facilitando a transferência de pacientes após estabilização, quando há necessidade. Em termos de remuneração há defasagem nos valores pagos, particularmente, aos quatro anestesistas contratados. Estes ainda sofrem com a sobrecarga de trabalho. Contratados para atuar nas cirurgias de emergência estão também dando cobertura nas intervenções eletivas. O hospital não estava superlotado. Nem a emergência abarrotada. O auditório do hospital está foi desativado na administração anterior para ser transformado em UPA (?) liberando a estrutura da Unidade do Mutirão para a Norte construir um hospital. A mudança não foi efetivada e o uso do auditório, perdido. Os médicos tem um contrato assinado, mas não tem carteira de trabalho regularizada. Não tem férias ou outros benefícios sociais. DSC04271

         Estivemos na UPA do mutirão localizada em bairro afastado, servido por ruas sinuosas, não asfaltadas e de difícil acesso por carro. A estrutura é grande. Largos corredores com pouca iluminação, paredes com infiltração e poucos equipamentos e servidores. Aspecto de abandono. Apesar disso o único médico de plantão nos informou que faz uma média de 50 atendimentos por turno. Não tem ambulância própria. Havia apenas dois pacientes em observação. O aparelho de RX está funcionando e o pequeno laboratório faz exames básicos. A Unidade está, claramente, subutilizada.

         No mesmo prédio funciona o Instituto Médico Legal de Altamira. Apesar de antigo, é uma construção sólida, com salas amplas e largos corredores. Existem apenas quatro médicos legistas atendendo na unidade. Apenas uma sala está em funcionamento para a administração, guarda de materiais apreendidos e exames de corpo de delito. Quando um exame tem que ser feito os servidores administrativos saem da sala para que os médicos tenham privacidade no seu trabalho. Existe, em toda a unidade, apenas um computador em funcionamento e que é, naturalmente, compartilhado por todos. Há uma sala reservada apenas para exames sexológicos. Sala de necropsia com apenas uma mesa de exames, mal iluminada e com poucos equipamentos de trabalho. Não vi raio X. Não há laboratório para a criminalística.

                  Na Assembleia Geral realizada no auditório da Delegacia do Conselho Regional de Medicina compareceram 10 médicos. Um número razoável, considerando que a cidade tem 79 médicos registrados no CRM. Foram discutidos os impactos da usina na atenção à saúde do município, condições de trabalho e a luta pela Carreira. Esclareci dúvidas sobre a Carreira Estadual de base municipal e sobre o direito de greve. Discorri sobre a importância do fortalecimento do Sindicato, as vantagens de ser associado e os serviços da entidade. Um colega perguntou o porquê de municípios se recusarem a contratar médicos como pessoa jurídica. Expliquei a ilegalidade desta forma de contratação e os prejuízos em termos de direitos sociais. Médico denunciou que a nova administração do município de Brasil Novo não pagou os proventos correspondentes ao mês de dezembro a quatro médicos do Saúde da Família. Pedi que enviassem cópia dos documentos para tomarmos providências. Um colega informou que o Consórcio Belo Monte precisa contratar de 10 médicos (1 médico do Trabalho e 10 Clínicos).

DSC04273Também visitei o Hospital Regional Público da Transamazônica e fomos recebidos pelo Secretário Municipal de Saúde, Waldecir Maia. Fomos duas vezes ao Ministério Público, mas não encontramos promotores na cidade.

Altamira foi invadida por mais de 15.000 trabalhadores para a construção da Usina de Belo Monte. Mais 15.000 trabalhadores são esperados para Belo Monte e 7.000 de uma mineradora canadense que vai explorar jazida de ouro descoberta, recentemente. O custo de vida subiu de forma estratosférica. Da alimentação aos alugueis. A cidade, antes pacata, está coalhada de carros e motos. Há epidemia de trauma por acidentes. Nenhuma infraestrutura urbana foi providenciada. O sistema de saúde opera no limite de sua capacidade. As duas unidades hospitalares prometidas pelo governo federal continuam sendo promessas. Ao Secretário Municipal de Saúde, em nome do SINDMEPA, coloquei nossa entidade a disposição na luta por mais recursos para a cidade e para a região. Entendo que a situação é preocupante. A construção de Belo Monte será importante fonte de energia para o desenvolvimento do país. Mas está a produzir efeitos devastadores, não só para as tribos indígenas, mas também para toda a população altamirense.

CES aprova parecer sobre o Hospital Regional de Marabá

14/06/2010 às 0:05 | Publicado em Saúde, sindmepa | Deixe um comentário
Tags: , , , , ,

Confira as deliberações:

a)    Determinar à SESPA que o novo aditivo a ser assinado com a PRO SAUDE referente ao Hospital Regional do Sudeste do Pará seja aprovado no Conselho Estadual de Saúde;

b)    Determinar à SESPA que, doravante, todos os aditivos a serem assinados com os Hospitais Regionais sejam aprovados pelo Plenário do Conselho Estadual de Saúde antes de assinados com as empresas que administram estes hospitais;

c)    Determinar que rigorosos critérios técnicos sejam observados na definição dos quantitativos de serviços a serem executados pelo HRPS, bem como sejam aperfeiçoados os mecanismos de controle da realização dos serviços;

d)    Determinar à SESPA que o Hospital Regional do Sudeste do Pará ofereça atendimento de Gestação de Alto Risco;

e)    Determinar que aviso de gratuidade seja fixado em locais visíveis do Hospital Regional Público do Sudeste para conhecimento da população usuária;

f)     Determinar que a equipe técnica de controle dos Hospitais Regionais reúna a cada três meses com os Conselhos Municipais da região;

g)    Determinar que a equipe técnica de controle dos Hospitais Regionais apresente aos Conselhos Municipais da região o quantitativo dos serviços prestados, por município, no ano de 2009;

h)    Determinar que o Hospital Regional Público do Sudeste e a SESPA (11ª Regional) reúna, mensalmente, com os Conselhos Municipais da região;

i)      Determinar que a Regulação Estadual do HRPS funcione fora das dependências do hospital e que as internações obedeçam ao perfil de atendimento previsto no Contrato de Gestão;

j)      Determinar a SESPA que inclua no aditivo ao contrato do Hospital Regional do Sudeste a obrigação de disponibilizar a gestão de seus custos, na internet, à semelhança do que é feito pelo Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência;

k)    Determinar à SESPA que encaminhe para o CES cópia dos relatórios mensais e trimestrais de avaliação e cópia do relatório que é, periodicamente, enviado à Assembléia Legislativa do Estado referente ao Hospital Regional do Sudeste e demais Hospitais Regionais;

l)      Implementar no Hospital Regional do Sudeste do Pará Conselho Gestor com a paridade da resolução 333 do Conselho Nacional de Saúde;

m)  Determinar à SESPA que garanta que os dirigentes do Hospital Regional Público do Sudeste, assim como a 11ª Regional de Saúde, compareçam às reuniões do Controle Social sempre que convidados e apresentem todos os esclarecimentos solicitados;

n)    Determinar que as reuniões dos Colegiados de Gestão organizados pela Secretaria de Estado de Saúde Pública sejam, todas, abertas ao público e que sua pauta seja, previamente, divulgada de forma ampla.

Leia o parecer completo: Parecer Hospital Sudeste MAR 2010

CES aprova parecer sobre o Hospital Regional de Altamira

10/06/2010 às 0:05 | Publicado em Saúde, sindmepa | Deixe um comentário
Tags: , , , ,

Confira as deliberações:

a)    Determinar à SESPA que o novo aditivo a ser assinado com a PRO SAUDE referente ao Hospital Regional Público da Transamazônica seja aprovado no Conselho Estadual de Saúde;

b)    Determinar à SESPA que, doravante, todos os aditivos a serem assinados com os Hospitais Regionais sejam aprovados pelo Plenário do Conselho Estadual de Saúde antes de assinados com as empresas que administramos estes hospitais;

c)    Determinar que o Informe de Alta do Hospital Regional Público da Transamazônica cumpra o disposto no Contrato de Gestão assinado com o governo;

d)    Que aviso de gratuidade seja fixado em locais visíveis do Hospital Regional Público da Transamazônica para conhecimento da população usuária;

e)    Determinar a SESPA que garanta o funcionamento técnico da Regulação Estadual e que as internações obedeçam ao perfil de atendimento previsto no Contrato de Gestão, exceto em casos excepcionais em que vidas estejam em risco.

f)     Determinar a SESPA que inclua no aditivo ao contrato do Hospital Regional Público da Transamazônica a obrigação de disponibilizar a gestão de seus custos, na internet, á semelhança do que é feito pelo Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência;

g)    Determinar à SESPA que encaminhe para o CES cópia dos relatórios mensais e trimestrais de avaliação e cópia do relatório que é, periodicamente, enviado à Assembléia Legislativa do Estado referente ao Hospital Regional Público da Transamazônica e demais Hospitais Regionais;

h)    Implementar no Hospital Regional Público da Transamazônica Conselho Gestor nos moldes e paridade da resolução 333 do Conselho Nacional de Saúde;

i)      Determinar à SESPA que garanta que os dirigentes do Hospital Regional Público da Transamazônica assim como a 10ª Regional de Saúde compareçam às reuniões do Conselho Municipal de Saúde e apresentem todos os esclarecimentos solicitados por aquele colegiado;

j)      Determinar que as reuniões dos Colegiados de Gestão organizados pela Secretaria de Estado de Saúde Pública sejam, todas, abertas ao público e que sua pauta seja, previamente, divulgada de forma ampla;

k)    Determinar à SESPA a ampliação do Serviço de Hemodiálise do Hospital Regional Público da Transamazônica de acordo com padrões técnicos necessários ao adequado atendimento da população usuária no âmbito da 10ª Regional de Saúde da SESPA;

l)      Que a SESPA coordene a elaboração de Plano Especial para a atenção à saúde na região da 10ª Regional prevendo os impactos decorrentes da construção da Usina Hidroelétrica de Belo Monte e apresente-o ao CEA/PA para aprovação.

Leia o parecer completo: Parecer Hospital TRANSAMAZÔNICA FEV 2010

CES aprova parecer sobre o Hospital Metropolitano

02/06/2010 às 0:07 | Publicado em Saúde, sindmepa | Deixe um comentário
Tags: , , ,

Deliberações:

a)   Determinar a SESPA que altere o contrato de gestão e deixe explicita a condição de hospital de Emergência com “portas abertas” no perfil assistencial previsto no contrato.

b)   Determinar a SESPA que garanta a manutenção da triagem, com a presença de médico, durante 24 horas;

c)   Determinar a SESPA que obrigue a ACEPA a afixar em local visível informativo de sua condição de Organização Social e a gratuidade dos serviços prestados no Hospital Metropolitano;

d)   Determinar a SESPA que garanta a presença de acompanhantes, em tempo integral, no caso de internação de TODAS as crianças, adolescentes e idosos, com direito a alojamento e alimentação, independente do município de origem;

e)   Determinar a SESPA que inclua no contrato de todos os hospitais regionais a obrigação destes disponibilizarem a gestão de seus custos, na internet, á semelhança do que é feito pelo Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência.

f)   Determinar a SESPA que encaminhe para o CES cópia dos relatórios mensais e trimestrais de avaliação e cópia do relatório que é, periodicamente, enviado à Assembléia Legislativa do Estado;

g)   Implementar no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência Conselho Gestor nos moldes e paridade da resolução 333 do Conselho Nacional de Saúde;

h)   Determinar a SESPA que faça avaliação técnica do funcionamento das emergências dos municípios da área metropolitana de Belém a fim de traçar um diagnóstico do atendimento de Emergência na região.

Parecer completo: Parecer Hospital METROPOLITANO JAN 2010

STF reconhece direito de paciente a optar por acomodação diferenciada

20/05/2010 às 18:46 | Publicado em justiça, Movimento médico, Saúde | Deixe um comentário
Tags: , , , , , , ,

O Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul obteve vitória no Supremo Tribunal Federal em sua luta pela volta da ‘diferença de classe’ no Sistema Único de Saúde, que deixou de vigorar em 1991 a partir de resolução do extinto Inamps. A decisão refere-se especificamente a Giruá, mas seguem tramitando outras ações do Cremers, envolvendo Porto Alegre e mais dez cidades gaúchas que têm o SUS municipalizado.
De acordo com o consultor jurídico do Conselho, Jorge Perrone, a decisão do STF deverá ser a mesma em relação às outras ações, atingindo posteriormente todo o Estado, também alvo de ação do Cremers.
O presidente do Cremers, Cláudio Franzen, comemorou: “A decisão é de alto alcance social, pois garante ao cidadão o direito de escolher seu médico optando por internação diferenciada, sem perder o direito de que parte de suas despesas sejam cobertas pelo SUS”.
Ao julgar favoravelmente o recurso extraordinário do Cremers, o ministro relator Celso de Mello frisou, remetendo para decisão anterior da Primeira Turma do STF, tendo como ministro relator Ilmar Galvão:
“… o direito à saúde, como está assegurado no artigo 196 da Constituição, não deve sofrer embaraços impostos por autoridades administrativas no sentido de reduzi-lo ou de dificultar o acesso a ele. Inexistência, no caso, de ofensa à isonomia”.
O ministro referiu a existência de vários outros precedentes no STF, mais recentes ainda, no mesmo sentido.
No dia 13 de maio, o Juiz Federal Substituto Lademiro Dors Filho intimou o município de Giruá a que:
“- permita o acesso do paciente à internação pelo SUS e o pagamento da chamada diferença de classe, para obter melhores acomodações, pagando a quantia respectiva, quer ao hospital, quer ao médico;
– abstenha-se de exigir que a internação só se dê após exame do paciente em posto de saúde (outro médico que não o atendeu), e de impedir a assistência pelo médico do paciente, impondo-lhe outro profissional”.
Foi fixada multa diária de R$ 500,00 no caso de descumprimento da decisão.

Fonte: Cremers

SESMA: promessa faz aniversário

19/05/2010 às 0:09 | Publicado em Saúde, sindmepa | Deixe um comentário
Tags: , , , , ,

Hoje completa um ano do anúncio feito pela assessoria de imprensa da Sesma de que a prefeitura iria inaugurar, em 45 dias, um Hospital de Retaguarda para desafogar os hospitais de pronto socorro. As declarações do então Secretário de Saúde Dr. Antonio Vinagre não se concretizaram. A obra continua inacabada. Fica aqui o registro.Abaixo, reproduzo, mais uma vez, a nota:

“O secretário municipal de saúde, Antônio Vinagre, esteve reunido com o Sindicato dos Médicos e a imprensa, na tarde desta segunda-feira (18), no auditório da Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb), para esclarecer as imagens do HPSM do Guamá veiculadas na imprensa neste final de semana. Vinagre afirmou que as imagens vão ser periciadas e que a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) vai abrir processo administrativo e tomar todas as providências cabíveis.De acordo com a diretora do HPSM Humberto Maradei (Guamá), Laura Jorge, o acontecido abalou muito os profissionais da casa de saúde. Ela garantiu que as imagens não foram feitas na UTI, que é composta de oito leitos e onde não entra maca. Segundo a diretora do HPSM do Guamá, há documentos que comprovam que o menor entrou no HPSM em óbito, vítima de afogamento em domicílio. ?Todos os procedimentos foram feitos pela equipe médica para reanimação da criança e foi comprovado o óbito do menor?, afirma Laura.Laura Jorge informa que a Prefeitura de Belém vai buscar esclarecimentos e abrir sindicância para apurar os fatos. ?Segundo relatos dos profissionais e documentos comprovados, a criança estava na maca de nº3 e não sabemos quem a colocou na pia, mas vamos procurar esclarecimentos. A prefeitura já está com a cópia das imagens editadas e vai abrir sindicância para investigar quem manipulou o menor e porque essas imagens foram divulgadas somente agora?, afirma Laura. O secretário esclareceu que o fato ocorreu no dia 21 de fevereiro de 2008, ou seja, há mais de um ano. ?O nosso interesse é diluir as dúvidas, pois o fato supostamente pode ter sido feito para prejudicar a prefeitura e a Sesma, já que existe a dúvida quanto a localização da criança, que já chegou em óbito?, explica. Para o secretário, o conjunto desses dados remete ao pensamento de que alguém pretendeu agir com maldade, com intuito de prejudicar o órgão. A Sesma está construindo um hospital para transferir os pacientes de longa permanência dos prontos-socorros, que será inaugurado em 45 dias. ?Se alguém quisesse contribuir, contribuiria na época e não neste momento. Isso mostra um desespero de falta de alternativas no momento em que a Sesma está dando respostas rápidas a população. Estamos trabalhando em conjunto com o Estado e outros municípios para tentar melhorar o sistema da saúde do Estado como um todo e melhorar a atenção a saúde da população de Belém, por isso a prefeitura vai tomar as medidas cabíveis para esclarecer as questões?, assegura o secretário.Laura Jorge afirmou ainda que todas as imagens veiculadas na imprensa serão analisadas, pois se supostamente ocorreu uma montagem, a equipe não pode ser prejudicada.”
Texto: Renata Reis Assessoria de Comunicação da Sesma

Hospital Barros Barreto promove cursos

30/04/2010 às 0:05 | Publicado em Saúde | Deixe um comentário
Tags: , , , , ,

A Divisão de Treinamento e Educação Continuada do Hospital Universitário João de Barros Barreto informa que estão abertas as inscrições para os cursos abaixo relacionados:

Curso: HIV/AIDS
Clientela: Profissionais que atuam nas ONG’s e Agentes Comunitários de Saúde
Período: 03 a 07/05/2010 Horário: 8h às 12h

Curso: Higienização Hospitalar
Clientela: Profissionais da área de área de saúde de nível superior e médio de instituições públicas
Período: 03 a 04/05/2010 Horário: 14h às 18h

Curso: Co-infecção de HIV/Hepatites Virais
Clientela: Profissionais de instituições públicas: médicos, farmacêuticos e enfermeiros
Período: 10 a 14/05/2010 Horário: 8h às 12h

Curso: Vigilância Epidemiológica
Clientela: Profissionais de instituições públicas da área da saúde de nível superior e alunos das universidades públicas da referida área
Período: 10 a 14/05/2010 Horário: 14h às 18h

Videocurso: Tuberculose: Conhecer para controlar
Clientela: Profissionais e estudantes da área de saúde
Período: 10, 11 e 12/05/2010 Horário: 14h às 17h

Curso: Intoxicação e envenenamento
Clientela: Profissionais de instituições públicas da área de saúde de nível superior e alunos das universidades públicas das referidas áreas
Período: 17 a 21/05/2010 Horário: 8h às 12h

Informações: 3201 6652 / 3201 6653 com Suzana Aviz

Hospital Metropolitano sob investigação

04/01/2010 às 0:05 | Publicado em Política, Saúde | 2 Comentários
Tags: , , , , ,

A situação do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência merece reflexão e esclarecimentos. Reflexão sobre o modelo de gestão proposto pelo PSDB e abraçado pelo PT. Para lá e para cá sobram acusações explicitas ou veladas. Na terça feira 29/12 o governo estadual publicou no Diário Oficial do Estado matéria informando que quitou completamente a dívida com a ACEPA (leia-se CESUPA) que é a “Organização Social” que administra o hospital. A matéria solta farpas para todos os lados. Para o governo anterior e para a ACEPA. Diz que o governo Jatene deixou dívida de 8 milhões para com o hospital e que o governo Ana Julia vinha pagando desde 2007. Acusa a ACEPA de não pagar a energia e a água consumida no hospital. O Conselho Estadual de Saúde começa hoje a investigar através da Comissão de Acompanhamento da Gestão Estadual. O SINDMEPA mandou ofício para o CES pedindo para que a situação do Metropolitanos seja discutida na próxima reunião do colegiado. O Hospital é muito importante para toda a região metropolitana e precisa funcionar bem. Vou propor à Comissão de Gestão que façamos uma visita ao hospital. Enfim, vamos esclarecer o que está acontecendo visando garantir a qualidade do atendimento e o acesso da população à Emergência em trauma.

SESMA constrói hospital e o entregará em 45 dias?

19/05/2009 às 20:49 | Publicado em Saúde | Deixe um comentário
Tags: , , ,

A Assessoria de imprensa da prefeitura encaminhou a nota abaixo para os meios de comunicação no dia de hoje, 19 de maio. Da nota, destaquei a afirmação de que a PMB está construindo um hospital de retaguarda e que o entregará (funcionando?) em 45 dias. 45 dias cai no dia 03 de agosto, pelas minhas contas. Vamos conferir a veracidade da informação. Após o dia 03 de agosto.

Data: Tue, 19 May 2009 15:59:08 -0300
Assunto: Fw: Sesma esclarece imagens veiculadas sobre HPSM do Guamá
—– Original Message —–
From: Rádio PMB
Sent: Tuesday, May 19, 2009 8:18 AM
Subject: Sesma esclarece imagens veiculadas sobre HPSM do Guamá

O secretário municipal de saúde, Antônio Vinagre, esteve reunido com o Sindicato dos Médicos e a imprensa, na tarde desta segunda-feira (18), no auditório da Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb), para esclarecer as imagens do HPSM do Guamá veiculadas na imprensa neste final de semana. Vinagre afirmou que as imagens vão ser periciadas e que a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) vai abrir processo administrativo e tomar todas as providências cabíveis.De acordo com a diretora do HPSM Humberto Maradei (Guamá), Laura Jorge, o acontecido abalou muito os profissionais da casa de saúde. Ela garantiu que as imagens não foram feitas na UTI, que é composta de oito leitos e onde não entra maca. Segundo a diretora do HPSM do Guamá, há documentos que comprovam que o menor entrou no HPSM em óbito, vítima de afogamento em domicílio. ?Todos os procedimentos foram feitos pela equipe médica para reanimação da criança e foi comprovado o óbito do menor?, afirma Laura.Laura Jorge informa que a Prefeitura de Belém vai buscar esclarecimentos e abrir sindicância para apurar os fatos. ?Segundo relatos dos profissionais e documentos comprovados, a criança estava na maca de nº3 e não sabemos quem a colocou na pia, mas vamos procurar esclarecimentos. A prefeitura já está com a cópia das imagens editadas e vai abrir sindicância para investigar quem manipulou o menor e porque essas imagens foram divulgadas somente agora?, afirma Laura. O secretário esclareceu que o fato ocorreu no dia 21 de fevereiro de 2008, ou seja, há mais de um ano. ?O nosso interesse é diluir as dúvidas, pois o fato supostamente pode ter sido feito para prejudicar a prefeitura e a Sesma, já que existe a dúvida quanto a localização da criança, que já chegou em óbito?, explica. Para o secretário, o conjunto desses dados remete ao pensamento de que alguém pretendeu agir com maldade, com intuito de prejudicar o órgão. A Sesma está construindo um hospital para transferir os pacientes de longa permanência dos prontos-socorros, que será inaugurado em 45 dias. ?Se alguém quisesse contribuir, contribuiria na época e não neste momento. Isso mostra um desespero de falta de alternativas no momento em que a Sesma está dando respostas rápidas a população. Estamos trabalhando em conjunto com o Estado e outros municípios para tentar melhorar o sistema da saúde do Estado como um todo e melhorar a atenção a saúde da população de Belém, por isso a prefeitura vai tomar as medidas cabíveis para esclarecer as questões?, assegura o secretário.Laura Jorge afirmou ainda que todas as imagens veiculadas na imprensa serão analisadas, pois se supostamente ocorreu uma montagem, a equipe não pode ser prejudicada.
Texto: Renata Reis Assessoria de Comunicação da Sesma

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.